15 Momentos Mais Marcantes de “Game of Thrones”

 

morethanentertainment2

Já se fez artigos sobre as personagens, sobre os melhores episódios, só falta rever os melhores momentos. Nesta lista, estão incluídos alguns dos momentos na série que mais me marcaram, seja pelo choque, pelo fator uau do momento, ou apenas por serem bastante emotivos.

Menções Honrosas: Daenerys mata os mestres de Astapor (3×04), Tyrion assassina o pai Tywin (4×10), Jon Snow nomeado rei do Norte (6×10), “Tell Cersei” (7×03)

15- Caminho da punição de Cersei Lannister (5×10)

game-of-thrones-season5

O High Sparrow prendeu Cersei e, agora, deixa-a voltar á Fortaleza Vermelha mas terá de fazer um caminho da expiação dos seus pecados.  Cersei Lannister é má pessoa, sem dúvida, mas neste momentos não deixamos de sentir empatia por ela. Uma provação tormentosa e humilhante, desumana. Foi um momento marcante na vida de Cersei, e a Fé, a partir daí começou  a ocupar um lugar na sua lista de inimigos.

14- Batalha de Blackwater (2×09)

Wildfire_explosion

A batalha de Blackwater foi a primeira grande batalha da série. As tropas de Stannis Baratheon estavam ás portas de King’s Landing. A sorte foi que Tyrion tinha um plano, fogo vivo. As chamas verdes consumiram grande parte da frota de Stannis, e foi uma grande perda da qual ele não conseguiu recuperar.

13- Arya extermina os Frey (7×01)

maxresdefault

No final da 6ªtemporada, Arya assassinou Walder Frey, por isso quando o vimos vivo no início da 7ª temporada achamos estranho. Seria um flashback, seria possível ele ter sobrevivido ao ataque de Arya? Nada disso. Era Arya Stark, com a cara de Walder Frey. Arya, como Walder, convocou todos os seus os parentes masculinos com a desculpa de ser uma celebração. Arya ofereceu-lhes vinho envenenado, deu-lhes um monólogo ressentido, e matou-os a todos. De uma só vez, Arya exterminou uma casa, vingando-se assim do que os Frey tinham feito á sua família. O Inverno tinha chegado á casa Frey.

“Leave one wolf alive, and the sheep are never safe.”

12- Dothraki e Daenerys vs Jaime e o Exército Lannister (7×04)

game-of-thrones-season-7-episode-4

No caminho para King’s Landing, Jaime, Bronn, os Tarly, e o exército são intercetados pelos dothraki, por Drogon e Daenerys. De longe, já se ouviam os cavalos e os gritos dos dothraki.  Eles não estavam preparados para o que ia acontecer, foi o caos, um inferno na terra. Mostrou o quão poderoso é um dragão numa batalha. Daenerys não teve piedade, matou os que não se ajoelharam. Tyrion assistia de longe, e apesar de estar preocupado com Daenerys, via-se na cara dele uma certa tristeza, pois eram também dos seus que estavam a morrer.

11-  Oberyn vs Gregor Clegane (4×08)

lead_720_405

Oberyn Martell ofereceu-se como campeão de Tyrion Lannister no momento que soube que Gregor Clegane iria ser o campeão da Coroa. Oberyn sempre procurou vingança pela morte da irmã e dos sobrinhos, que morreram ás mãos de Clegane. Oberyn era um bom guerreiro, e estava a ganhar, mas de repente tudo mudou. Ele tornou-se algo convencido e começou a exigir uma confissão por parte de Clegane. Clegane conseguiu matá-lo de uma forma horrível e chocante, espremeu a cabeça até explodir. Custou assistir á morte de Oberyn, pois era uma personagem carismática que dava outra cor a King’s Landing.

10- Night King vs Jon em Hardhome (5×08)

rei-da-noite

Jon Snow encontrava-se em Hardhome para tentar convencer o povo livre a sair dali e encontrar refúgio em Westeros, porque os mortos vinham a caminho. Mas, nesse mesmo momento o Night King e o seu exército aparecem e foi uma chacina. Foi uma batalha contra o tempo, porque muitos ainda estavam a fugir. Jon, Tormund, e mais alguns ficam para trás para ganhar tempo. E, por pouco também eles não são mortos. Foi a primeira vez que vimos bem o Night King e percebemos o seu poder, que ele consegue ressuscitar todos os mortos. Mas, também descobrimos que o aço valiriano consegue matar os white.

9- Casamento Roxo (4×02)

game-of-thrones-purple-wedding-joffrey-death-hbo

Este casamento é o remédio para o Casamento Vermelho. Joffrey e Marjaery estavam casados e a desfrutar da festa, mas Joffrey tirou algum do seu tempo para tormentar Sansa, e principalmente Tyrion. Quando abre a tarte de casamento e bebe algum vinho, Joffrey começou a sentir-se mal, e morreu. Envenenado, de forma grotesca. Ele era tão idiota, que se calhar até merecia pior. Mas, sem dúvida que foi dos momentos mais satisfatórios da série.

8- Tyrion pede julgamento por combate (4×06)

tyrion1

Tyrion estava a ser julgado por ter morto Joffrey. Testemunhas depuseram contra ele, até Shae, a sua amada. Foi aí que Tyrion cansou-se e disse tudo o que pensava e algo mais. Um discurso apaixonante no qual Tyrion descascou na própria família, e nos habitantes da cidade. Pois, a cidade aguentou tanto tempo na batalha da Baia Negra graças a si. Mas, Tyrion não recebeu louros nenhuns, apenas olhares de lado e humilhações. É aí que exige julgamento por combate. Pois, sabe que a sua sentença seria de culpado. O momento é dos melhores da série, foi bem escrito mas também é bom graças á interpretação de Peter Dinklage, que aqui mostrou todo o seu talento.

7- Ressurreição de Jon Snow (6×02)

js

A 5ª temporada acabou com Jon Snow a ser morto pelos próprios irmãos da Patrulha da Noite. Não gostamos nada, Jon é sem duvida uma das personagens mais importantes da série, um bastardo mas que conseguiu chegar a Comandante da Patrulha da Noite. E, outras conquistas os esperavam no futuro. Contudo, quando Davos pediu ajuda a Melisandre ficamos com uma certeza quase certa que o Jon Snow ia ressuscitar. E, ressuscitou. Ghost deu conta mesmo antes de Jon abrir os olhos, e nós respiramos de alívio.

6- Hold The Door (6×05)

hold

Bran e Meera estavam a tentar escapar dos white walkers, enquanto que Hodor tentava segurar uma porta para os white walkers não passarem. Bran entra na mente de Hodor, mas na mente de Hodor do passado. Hodor sacrificou-se pelos amigos, e teve uma morte de herói. Descobrir a verdade sobre o porque dele ser Hodor também não foi fácil de dirigir. Um momento de partir o coração, que nos levou ás lagrimas.

5- Explosão do Septo de Baelor (6×10)

got4

Cersei, supostamente, deveria estar presente no Septo de Baelor para o seu próprio julgamento. Ora, no Septo já estavam Margaery, Loras, o High Sparrow. Mas, Cersei tinha outra ideia. De uma vez só, ela conseguiu vingar-se de todos os seus inimigos ao explodir o septo com fogo vivo. Este acto mostrou não só a inteligência de Cersei, mas também a sua frieza e calculismo. Uma cena que durou 10 minutos, com a perfeita banda sonora de Rawin que ajudou ao escalar da situação.

4- Battle of the Bastards (6×09)

batalha-dos-bastardos-1068x600

Jon Snow e o seus aliados estavam prontos para a batalha com Ramsay Bolton, para reconquistar Winterfell. Eles tinham um plano, que foi por água baixo quando Jon viu o seu irmão Rickon a ser morto. Jon esteve em perigo várias vezes nesta batalha, tal como Tormund e Davos. Uma batalha frenética, grotesca. Mas, quando tudo parecia perdido, Sansa apareceu com Petyr Baelish e o exército do Vale. Uma batalha filmada de forma magnifica, que a tornou icónica e uma das melhores batalhas em tv e mesmo em cinema.

3- Confirmação da verdadeira identidade de Jon Snow (6×10)

140152

Bran Stark, depois de se tornar o Corvo de Três Olhos, voltou a visitar o passado. Mais especificamente a altura em que Ned reencontrou a sua irmã Lyanna. Bran assistiu ao reencontro dos dois irmãos, e ao pedido que Lyanna fez a Ned. Lyanna pediu a Ned para proteger o seu filho recém-nascido, fruto da sua relação com Raegar Targaryen. Porque esse momento foi especial? Porque confirmou várias teorias, e a principal de que Jon era filho de Lyanna e do príncipe dragão, e não o filho bastardo de Ned. No momento que nos foi mostrado o bebé, a cena depois salta para Jon. Um momento algo emocionante, que irá ter ainda as suas repercussões na temporada que irá estrear. E, também percebemos que Ned fez de tudo para proteger Jon .

2- Morte de Ned Stark (1×09)

Game-of-Thrones-GoT-Série-1

Quem assistia apenas á série, pensava que Ned Stark era o protagonista, e que iriamos seguir a sua história. Errado. Ele morreu na primeira temporada, uma morte injusta ainda por cima. Ned Stark era aquele tipo de personagem que toda a gente gostava, bom pai e marido, amigo , honrado e justo. Escolhi este momento, porque apesar de já estar morto, a figura de Ned Stark ainda está muito presente na série. E, foi a sua morte que começou a guerra, que definiu para sempre as personalidades das filhas que assistiram á sua morte… E, a sua morte mostrou-nos que estávamos a assistir a uma série diferente das outras.

1- Red Wedding (3×09)

Red-Wedding-Scene

O Casamento Vermelho foi uma tentativa de reparar as relações entre os Freys e os Starks. Robb Stark deveria se ter casado com uma das filhas de Walder Frey, mas Robb casou-se com Talia, por amor. Então, Edmure Tully foi escolhido como noivo. Parecia estar tudo a correr bem, mas de repente ouvimos a música dos Lannister “Rains of Castamere”. Caiu-nos tudo, os aliados de Stark foram assassinados, Talia foi esfaqueada, Robb foi alvejado com setas e depois morto por Bolton, e Catelyn foi degolada. Nem Grey Wind escapou á chacina. Foi brutal e horrível. Os Stark já tinham sofrido tanto e, de repente, foram chacinados num casamento e atacados á traição. Um momento que ficará para sempre na historia da tv, por ser um dos mais chocantes e mais sangrentos.

Falta uma semana para estrear a nova temporada, e as expectativas são altas. Gostava que fosse a melhor temporada de todas, para acabar em grande, mas se manter a fasquia já fico contente. Espero que no futuro, alguns dos momentos da nova temporada ganhem o seu espaço na lista de momentos mais marcantes da série.

 

 

Anúncios

“Polar” 2019

Polar-Critica-banner-lepop-1300x620

Ação, Crime, Drama

Realização: Jonas Akerlund

Argumento: Jason Rothwell

Elenco: Mads Mikkelsen, Vanessa Hudgens, Katheryn Winnick…

Duncan Vizla é um dos maiores mercenários do mundo, mas por conta da idade avançada e da exaustão física e mental que trazem a sua profissão, o homem está em vias de se aposentar. No entanto, os planos são interrompidos quando o seu antigo chefe o convoca para uma nova missão. Mas, a missão não é o que ele pensa.

Duncan é um mercenário que pertence a uma agência chamada Damocles. Ele fez nome e é um mercenário bem conhecido, mas como a idade não perdoa, ele toma a decisão de se reformar. Nota-se um certo cansaço mais até psicológico, pois Duncan é perseguido por fantasmas do passado. No sitio que escolheu para viver os restos dos seus dias, Duncan conhece a jovem Camilhe, e a partir daí nasce uma amizade. Contudo, a vida de mercenário vai impedir o início de uma reforma pacífica. Para além destas duas personagens, temos o chefe de Duncan, Sr. Blut, e uma colega mercenária, Vivian, e um grupo de mercenários com os quais Duncan terá lutar.

O argumento baseou-se na banda desenhada do mesmo nome. Por acaso, não conhecia, por isso não faço ideia do quão parecido é o argumento do filme com o da banda desenhada. Por isso, a minha opinião baseia-se apenas naquilo que vi no filme. O protagonista é carismático, e só ele nos basta para agarrar. A história em si também não é desinteressante, mas poderia ter sido melhor aproveitada. Tem ação, uma pitada de comédia e alguns twists.

No que acho que o argumento erra é que por vezes algumas cenas de nudez e de violência se tornam exageradas, o que era desnecessário,  pois não acrescentaram em muito á história. Apenas violência e nudez gratuita. Outro ponto menos positivo é o vilão da história, que não tem presença nenhuma e quase não dá para acreditar que ele seja o líder de um sindicato de mercenários. A equipa de mercenários também são personagens planas, que são facilmente esquecíveis.

A atmosfera é adequada, com uma realização bastante estilizada. Tomemos como exemplo os créditos iniciais que têm um sing-a-long.

Mads Mikkelsen é o pilar do filme, é um actor com uma presença que marca por onde passa, e não foi exceção neste filme. Se ele não fosse o protagonista, o filme não era tão fácil de assistir. O resto do elenco não se destaca de forma especial. Apenas mais uma menção, neste caso a Vanessa Hudgens que teve de entrar numa personagem psicologicamente ferida.

“Polar” é um filme que tinha como base um material interessante, mas que o desaproveitou, juntamente com o elenco. É um filme de ação mediano que se sustenta só no protagonista, enquanto que as outras personagens não são cativantes. Ficamos com a impressão que poderia ter sido melhor.

Classificação- 3 em 5 estrelas

“Love, Death and Robots” 2019

 

love-death-and-robots-poster

Criado por: Tim Miller

Realização:Víctor Maldonado, Alfredo Torres, Gabriele Pennacchioli, Franck Balson, Dominique Boidin…

Argumento:Philip Gelatt, John Scalzi , Alastair Reynolds…

Elenco: Scott Whyte, Nolan North, Matthew Yang King, Michael Benyaer, Josh Brener…

Episódios: 18

Uma coleção de contos animados que mistura ficção científica, fantasia e terror.  Uma série antológica de animação para adultos de Tim Miller e David Fincher.

1. A VANTAGEM DE SONNIE: No mundo clandestino das lutas entre bestas, Sonnie é imbatível… desde que consiga manter a sua vantagem. Sonnie sofreu e usa as lutas como forma de exteriorizar e exorcizar os seus demónios. Tentam-na seduzir com dinheiro para perder de propósito, mas nada feito. Mais uma vez, ela é atacada, mas nem tudo é o que parece. Um bom episódio para começar esta série, sem dúvida dos mais memoráveis.

2. TRÊS ROBÔS: Muito tempo depois do desaparecimento da humanidade, três robôs visitam os vestígios de uma cidade pós-apocalíptica. Esta é uma das histórias mais interessantes. Temos uma ideia de como inteligências artificiais viriam os seres humanos e os seus hábitos, no futuro. Para eles, os seres humanos não fazem sentido e não os compreendem. E, claro levantam a questão, Quem os criou? Nesta realidade, a humanidade desapareceu devido a um desastre ambiental. Já estivemos mais longe disso. Contudo, esta história é nos contada de forma divertida.

3. A TESTEMUNHA: Após testemunhar um homicídio brutal, uma mulher foge do assassino pelas ruas de uma cidade surreal. Uma das histórias com um dos estilos de animação mais característicos, e que a forma de que foi realizada nos transmite pânico e paranoia. E, com uma componente bastante interessante: de loop temporal.

4. FATOS: Uma comunidade de agricultores usa mecanismos caseiros para defender as suas famílias de uma invasão alienígena. Mas, esses mecanismos de defesa são bastante avançados tecnologicamente. Um conto sobre sacrifício, sobrevivência, amizade, contado numa animação bastante colorida e calorosa.

5. DEVORADOR DE ALMAS: Libertado de uma escavação arqueológica, um demónio sedento de sangue luta contra um grupo de mercenários equipados com uma arma inusitada.  Com ação, que nos lembra os filmes de terror de antigamente.

6. QUANDO O IOGURTE CONQUISTOU O MUNDO: Um iogurte superinteligente criado acidentalmente em laboratório está determinado a conquistar o mundo. Só esta premissa já, por si, desperta curiosidade. O iogurte soube solucionar problemas do mundo, e quem não seguiu as suas sugestões, não correu bem. Por isso, o iogurte conseguiu o poder absoluto. Contudo, será que correu bem? Adorei particularmente esta, pois toca em certos assuntos atuais da nossa sociedade de forma divertida.

7. PARA LÁ DE AQUILA: A tripulação de uma nave à deriva desperta anos-luz fora da sua rota. No fundo desta historia, uma dicotomia entre a realidade e a fantasia. O que seria melhor, viver numa fantasia, ou viver na crua realidade.

8. BOA CAÇA:  O filho de um caçador de espíritos cria uma ligação com uma hulijing com capacidade de mudar de forma. Com uma inspiração na animação asiática, e no passado do continente asiático, este é um conto sobre magia, amizade e preserverança.

9. A LIXEIRA: A lixeira é o lar de Dave Feioso, e ele tudo fará para impedir que um espertalhão da cidade o expulse do seu domínio. Este conto, para mim, foi o mais desinteressante.

10. MUTANTES: No coração do Afeganistão, dois Marines com poderes sobrenaturais enfrentam uma ameaça de um dos seus. Estes dois marines, pode-se dizer, têm uma dupla identidade, pois são americanos, mas também lobisomens. Apesar de lutarem no mesmo lado que os seus compatriotas, estes soldados são vistos com desconfiança, e sofrem de discriminação. Apesar de um elemento sobrenatural, esta  é uma situação que podemos transportar para a nossa própria realidade, pois a discriminação está ainda muito presente na nossa sociedade. E, a diferença é vista de lado pelos outros.

11. DAR UMA MÃO
Uma astronauta à deriva no espaço tem de sacrificar uma parte de si, antes que a sua reserva de oxigénio se esgote. Dá-nos um feeling do filme “Gravity”, pois também esta astronauta teve de se desenrascar sozinha quando lhe aconteceu uma acidente no espaço. Interessante ver como o pânico de alguém parece pequeno na imensidão e no silêncio do espaço.

12. A NOITE DOS PEIXES: Quando o seu carro se avaria no deserto, dois vendedores embarcam numa viagem surreal ao início dos tempos. Uma história de fantasmas do passado, que apenas se distinguiu pela sua animação encantadora.

13. 13, O NÚMERO DA SORTE: A nave 13 perdeu duas tripulações e agora ninguém a quer pilotar. Mas os novatos não têm direito de escolha. mas, uma novata afeiçoou-se a essa nave e, conseguiu tirar dela o melhor.

14. ZIMA BLUE: Zima, um artista de renome, recorda o seu passado misterioso e a sua ascensão à fama antes de revelar a sua obra final. Um artista que sempre olhou para o cosmos como inspiração. O que não se sabia era que este artista era uma simples máquina que com as modificiações que os humanos lhe fizeram, tornou-se consciente. Evoluiu. A sua obra final: desfazer-se, descomplicar-se voltar atrás, aos dias em que retirava um prazer só de apreciar o ambiente e realizar de forma satisfatória uma tarefa simples. Algo que também pode ser transportado para os seres humanos, nos dias de hoje. Cada um está tão submerso nos seus afazeres, no seu trabalho que se esquece de parar e apreciar o que está á volta. E, tirar um momento para si, de prazer.

15. ÂNGULO MORTO
Um gangue de ciborgues ladrões realiza um assalto a alta velocidade a um camião armado até aos dentes. Mas, no futuro até estes assaltos vão ser diferentes. Existirão segundas oportunidades?

16. IDADE DO GELO: Um jovem casal muda-se para um apartamento, onde encontra uma civilização perdida dentro do seu congelador. O único episódio live action desta temporada, mas bastante curioso. O casal pode assistir á evolução de uma civilização, que aos seus olhos foi rápida, mas poderia ter demorado milhões de anos para quem viveu essa mesma evolução. Essa civilização também passou por revoluções, guerras, e atingiu um suposto epítome. E, depois desapareceu?

17. HISTÓRIAS ALTERNATIVAS: E se pudéssemos ver Hitler a morrer de várias formas divertidas? Agora já é possível: bem-vindos à Multiversidade! Este é o conceito de uma fictícia aplicação que é centro deste episódio que deixa modificar um facto histórico e a partir daí cria uma simulação. Se existisse, seria uma aplicação bastante divertida. Um episodio com um conceito criativo e com comédia que baste.

18. GUERRA SECRETA: Nas entranhas das antigas florestas da Sibéria, o Exército Vermelho combate um mal profano. Um mal profano que foi criado por um membro do próprio exercito, mas a ideia era que esses monstros lutassem lado a lado com eles. Agora, tudo depende apenas da coragem de um grupo de soldados.

Esta série de animação combina vários estilos de animação (desde CGI á animação mais tradicional) e géneros (comédia, ação, drama, ficção científica) e narrativas. Contudo, a alta qualidade na realização é notada em todos os episódios, pois a atenção ao detalhe , o realismo, e a paleta de cores adequa-se a cada tema.

E, é uma série que no geral não se esconde da violência, da nudez e da linguagem mais grosseira.

Os 18 episódios são bastante diferentes e variam quer na história, quer no estilo de animação. Espaços e tempos diferentes, personagens humanas e tecnológicas.Algumas destas histórias são mais divertidas, outras mais contemplativas, outras mais filosóficas com lições de vida, outras apenas com bastante ação. O argumento de alguns episódios é tão bom que teria mais que material para ser adaptado a um filme.

Dá para agradar a todos. E, a pequena duração dos episódios faz com que seja bastante fácil de se assistir.

“Love, Death and Robots” é uma série de antologia que prima pela sua qualidade na realização e no argumento. Mas, também pela sua criatividade e variedade.

 

 

 

TOP 15 EPISÓDIOS “GAME OF THRONES”

Artigo GOT - Top 15 eps

Depois da saga “Personagens influentes” e como ainda faltam umas semanas até a última temporada sair, decidimos continuar, desta vez com um artigo sobre os que para nós foram os melhores 15 episódios destas últimas sete temporadas. Sim, não foi nada fácil, porque esta série é recheada de bons episódios, já por isso é considerada das melhores séries de sempre. Mas, fosse pelo nosso gosto pessoal, ou pela qualidade do episódio, aqui estão os nossos escolhidos.

15) 5×10- “Mother’s Mercy”

Stannis Baratheon marcha para a batalha para reaver Winterfell dos Bolton. Cersei procura perdão e é submetida a uma humilhação pública. Jon, na Muralha, tem os seus próprios problemas, depois de ajudar o povo livre, há quem não esteja contente com essa ideia.Sansa tenta fugir das garras de Ramsay Bolton com a ajuda de Theon. Uma season finale intensa: tivemos a batalha de Winterfell que acabou mal para Stannis; Cersei viu-se numa situação que nunca antes pensou,mas foi vítima também da própria armadilha; Arya Stark riscou um nome da lista e a morte de Jon Snow ficou-nos gravada na memória, e deixou-nos na expectativa para ver o que lhe esperava.

14) 3×09 – “The Rains of Castamere”

O episódio é focado no casamento de Edmure Tully com Roslin Frey. Outras histórias abordadas incluem a separação do grupo de Bran Stark, a lealdade de Jon Snow é testada e Daenerys Targaryen planeia sua invasão da cidade de Yunkai. Mas, o porquê deste episódio estar no top, para além de ser bem realizado e bem escrito, é o choque que provoca. Este é o episódio do Casamento Vermelho, um episódio que ficará para sempre na memória dos fãs da série. Estávamos à espera de algo, mas não daquilo. Foi triste, chocante e horrível o que vimos naquele episódio, ainda por cima o que estava a acontecer aos Stark, que já tinham sofrido tanto. Será para sempre um dos momentos mais icónicos e chocantes da tv, e provocou reações bastantes fortes em todos. The North Remembers.

13) 1×07- “You win or you die”

Muitos acontecimentos tomaram lugar neste mesmo episódio. Tywin pressionou Jaime para ser o homem que ele é suposto ser enquanto se preparam para a batalha contra Catelyn Stark, que capturou Tyrion Lannister. Ned confronta Cersei acerca dos segredos que mataram Jon Arryn e revela que sabe sobre o seu segredo, que os três filhos desta não são de Robert, mas sim fruto do incesto com Jaime. Jon e Sam fazem os seus votos de fidelidade à Night’s Watch. Jorah salva Daenerys de uma tentativa de assassinato com vinho envenenado e Khal Drogo jura vingança , prometendo liderar os Dothraki para sítios onde nunca foram. Em King’s Landing, Robert que estava gravemente ferido, depois da caça ao javali ter corrido mal, numa tentativa de assassinato planeada por Cersei, acaba por morrer. E a partir daí, Ned nunca mais ficou seguro.

12) 6×05- “The Door”

“Hold the Door! Hold the Door!” ainda conseguimos ouvir os gritos intermitentes na fuga de Meera e Bran da caverna, invadida pelos White Walkers. Holdor apenas só conseguia dizer o seu nome, sempre serviu os Stark em Winterfell e acompanhou Bran na sua jornada. Neste episódio compreendemos o significado do seu nome, e a sua história. Choramos baba e ranho pela morte desta personagem que apesar de ser secundária conseguiu sacrificar-se por um bem maior. O significado das suas palavras foi finalmente ouvido.

11) 2×03- “What is dead may never die”

Ainda sem motivos para confiar em alguém, Tyrion procura utilizar a sua melhor arma, a sua inteligência, para descobrir quem merece a sua consideração no Small Council. Tyrion rapidamente percebe que está num ninho de cobras, ambiciosos por poder. Catelyn decide dar apoio ao filho na guerra ao persuadir Renly a juntar-se às suas forças. O que podia ser uma aliança favorável às duas partes. Após a ameaça a Winterfell, Theon terá de escolher o seu caminho. Juntar-se às ideias tiranas da sua família e governar Winterfell, ou juntar-se a Robb, único irmão que conheceu, na sua cruzada? Digamos que a sua escolha deixou muito a desejar.

10) 3×04 – “And now is watch is ended”

Cada peão começa a mexer-se para provar o seu poder. Jaime ainda perdido e sem mão, tenta voltar para casa a todo o custo. Cersei não está confortável com a presença da família Tyrell. Do outro lado, a Patrulha da Noite começa a ficar impaciente com a Craster que abusa das suas próprias filhas e troca os seus filhos para o outro lado da Muralha. Daenerys afirma o seu poder com a compra do exército dos Imaculados. A mãe dos dragões começa a estar preparada para uma guerra iminente.

9) 4×09 – “The Watchers on the Wall”

Jon Snow e o resto da Patrulha da Noite enfrentam o maior desafio até hoje: evitar a invasão por parte do povo livre.

8) 7×04- “The Spoils of War”

Muito aconteceu neste episódio, o mais memorável da temporada 7. Em Dragonstone, Daenerys e Jon observam os desenhos das cavernas, deixados pelas Children of the Forest (Crianças da Floresta), indicando que o First Men (Primeiro Homem) e estas lutam juntas contra os White Walkers. Em King’s Landing, a Cersei tenta obter mais investimento do Iron Bank depois de lhes assegurar que em breve a dívida será paga. A Norte, Arya volta a Winterfell, reunindo-se com Sansa e Bran, lutando contra a Brienne. Na estrada para King’s Landing, Jaime e Bronn, juntamente com os exércitos, são apanhados no ataque da Daenerys montada no Drogon e o exército Dothraki. Uma batalha frenética, e das melhores da série, como Got gosta de fazer.

7) 2×09 – “Blackwater”

A frota de Stannis Baratheon chega a King´s Landing e assim a batalha começa, sendo que quem comanda a defesa é Tyrion Lannister, que age como mão do rei, que na altura é Joffrey, que fugiu mal viu oportunidade.
Tyrion não só conseguiu pôr em ação um plano para conseguir acabar com a maior parte da frota de Stannis, envolvendo wildfire, mas também conseguiu motivar os moradores a lutar pela defesa da cidade.
Durante tudo isso, Cersei que estava convencida de uma derrota, preparou um veneno para matar-se juntamente com Tommen.
Esta foi a primeira grande batalha que a série nos preparou. Para muitos continua a ser melhor, com as batalhas serem repartidas entre terra e mar, com wildfire à mistura.

6) 4×02- “The Lion and The Rose”

Tyrion ajuda o irmão Jaime ao encontrar-lhe um novo parceiro de treino. Ramsay Bolton continua os seus jogos com Theon. Bran percebe para onde tem de seguir, em direção ao Three Eye Raven. Em King’s Landing, chega o grande dia: o casamento de Joffrey e Margaery. Durante essa celebração, percebemos mais uma vez a arrogância e mesquinhez de Joffrey, que depois ainda tira um pouco do seu tempo para humilhar o tio Tyrion. Contudo, Joffrey cai inanimado, envenenado. Se existiu uma morte celebrada em tv, foi a de Joffrey Baratheon. Momento satisfatório, ver aquela personagem que toda a gente odiava, finalmente ir desta para melhor.

5) 1×01 – “Winter is Coming”

No primeiro episódio, não podíamos imaginar a magnitude e os largos contornos que esta série iria tomar. A frase pronunciada “Winter is Coming” tornou-se o seu lema. Conhecemos a feliz família Stark que dentro de poucos episódios iria deixar de o ser. Por outro lado, conhecemos a família Lannister, que depressa percebemos que algo não bate certo na relação entre eles. Outras personagens começam a tornarem-se importantes, é o caso de Daenerys Targaryen, ainda uma inocente menina vendida aos dothraki pelo seu próprio irmão.

4) 4×06 – “The Laws of Gods and Men”

O julgamento de Tyrion chegou. Aclama-se inocente, mas as provas apresentadas estão cada vez mais próximas da sua execução. Um testemunho inesperado reage contra si. Mas, Tyrion não iria ficar em silêncio. No melhor monólogo de sempre, Tyrion diz tudo o que pensa, e não deixa nada por dizer. Estamos a ver o episódio, e é impossível não aplaudirmos Tyrion, mesmo estando a aplaudir para uma tv. Yara finalmente encontra o seu objectivo de libertar o irmão, Theon, mas quem encontra é uma pálida imagem do que foi. Daenerys tenta conciliar os seus deveres políticos com a responsabilidade social, ao conhecer Hizdar zo Loraq.

3) 6×09 – “Battle of the Bastards”

Daenerys finalmente está de volta a Meereen, no momento em que a mesma está a ser atacada. Mas, a Mãe de Dragões vai ripostar, com a ajuda dos seus fiéis conselheiros Tyrion, Greyworm e Missandei. Já em Westeros, mais propriamente em Winterfell, Jon Snow e Ramsay Bolton confrontam-se numa batalha por Winterfell e pelo Norte. Jon não tem uma tarefa fácil, mas com a ajuda de Davos, Tormund e o povo livre, e com a estratégia de Sansa de pedir ajuda ao Vale, os Stark conseguem tomar de volta a sua casa. Outra morte satisfatória, a de Ramsay Bolton, entre ele e Joffrey sinceramente, não sei qual deles o melhor. Com a realização 5 estrelas de Miguel Sapochnik, este não é só um dos melhores episódios da série, mas da tv em geral. Sequências de ação longas e realistas, que nos transportam para aquela batalha, e que nos deixam lá, sempre alerta, e com o coração nas mãos.

2) 5×08 – “Hardhome”

Uma batalha que demorou um mês a filmar e que não estava no material original, os últimos 20 minutos deste episódio foram de cortar a respiração, quando o Night’s King solta uma avalanche de mortos vivos ferozes, sobre Hardhome, uma vila dos Wildlings, quando Jon e Tormund lá estavam para convencer o resto dos Wildlings do perigo que se avizinhava. Este foi o momento que ajudou a solidificar Jon Snow como o herói final, provando que este estava certo na sua tentativa de unir as frações inimiga. Foi uma batalha muito intensa de cortar a respiração. E, na qual pudemos assistir à extensão do poder do Night King.

1) 6×10 – The Winds of Winter

 

Esperava-se uma season finale em grande, e foi mesmo isso que aconteceu. Com a música “Light of the Seven” como fundo, Cersei, Margaery, Loras, Tommem e o High Sparrow preparavam-se para o julgamento. Mas, Cersei tinha um plano bastante diferente. Em Dorne, alianças entre Tyrell e Martell são formadas. Daenerys finalmente se encaminha para Westeros com um exército de dothraki, unsullied, aliados de peso e três dragões. Já no Norte de Westeros, Jon Snow consegue uma aliança entre o povo livre, os nortenhos e os cavaleiros do Vale. E, ali, Jon é proclamado Rei do Norte.
Um episódio icónico com reviravoltas, vinganças, descobertas…O que um fã pode querer mais?

E vocês, concordam com esta lista?
Estamos ansiosas pela nova temporada, que certamente terá episódios que irão fazer parte deste top.