Trailer “Marvel´s The Punisher” season 2

 

Quase a estrear na Netflix, 18 de janeiro, marquem nas agendas.

Anúncios

“First Man” (2018)

first-man-banner-2018

Biografia, Drama

Realização: Damien Chazelle

Argumento: Josh Singer

Elenco: Ryan Gosling, Claire Foy, Jason Clarke, Kyle Chandler, Corey Stoll…

A vida do astronauta norte-americano Neil Armstrong e a sua jornada para se tornar o primeiro homem a andar na Lua. Os sacrifícios e custos de Neil e toda uma nação durante uma das mais perigosas missões na história das viagens espaciais.

Deve ser (quase) impossível encontrar alguém que não conheça o nome Neil Armstrong, ora porque foi ele o primeiro homem a pisar a Lua. Verdade que conhecemos o feito, mas do homem em si conhecemos muito pouco ou nada mesmo. No filme “First Man” conhecemos não só o feito, mas o ser humano por detrás desse mesmo feito.

O filme contemplou o período de vida de Armstrong desde a sua entrada na NASA ao aftermath da ida á Lua. Conhecemos a família de Armstrong, como a família lidava com a sua ausência, e como a perda da sua filha o moldou daí para a frente. Conhecemos um pouco dos bastidores do programa espacial, como tudo se operou por detrás do frenesim noticioso. Um dos pontos positivos da história foi que mostrou o lado menos bom e poético do programa espacial. Pois, quando se pensa em NASA pensamos em aventura, sonho, mas também em desafio. Foi um percurso difícil, com sacrifícios que não podem ser esquecidos, e que nem sempre foi apoiado por todos. E, todos esses obstáculos tiveram de ser ultrapassados.

O filme teve o seu próprio ritmo, e teve de ser mesmo assim. Foi contemplativo e deixou a história fluir naturalmente. Damien Chazelle optou por plano próximos da personagem, e próximos da situação. Uma visão intimista, ao ponto de parecermos que estamos com as personagens em cena. Até que nas cenas dentro das naves, não deixamos de sentir uma certa claustrofobia.

Desde a fotografia, á banda sonora, á edição, todas as peças encaixaram perfeitamente neste filme. Uma das cenas que é apoteose disso mesmo é a chegada á Lua, que foi filmada de forma magnífica.

O filme não seria o mesmo sem um elenco forte a interpretar a história. Ryan Gosling mostrou toda a sua maturidade como actor neste filme, uma interpretação digna de nota e uma das melhores da sua carreira. Não vemos o actor Ryan Gosling, mas sim Neil Armstrong, um homem focado nos seus objetivos, introvertido e próximo da família. Já Claire Foy teve também uma boa interpretação, ao interpretar uma esposa e mãe que fez de tudo para manter a família unida. E, teve uma boa química com Ryan Gosling no grande ecrã.

Em suma, “First Man” é uma experiência cinematográfica imersiva que nos transporta para acontecimentos daquela época de forma realista e impactante.

Classificação- 4,5 em 5 estrelas

Golden Globes 2018 (vencedores)

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

Melhor Filme – Comédia ou Musical
Green Book

Melhor Filme – Drama
Bohemian Rhapsody

Melhor Filme de Animação
Spiderman: into the Spiderverse

Melhor Filme Estrangeiro
Roma (México)

Melhor Realização
Alfonso Cuarón por Roma

Melhor Ator – Comédia ou Musical
Christian Bale, em Vice

Melhor Atriz – Comédia ou Musical
Olivia Colman, em The Favourite

Melhor Ator – Drama
Rami Malek, em Bohemian Rhapsody

Melhor Atriz – Drama
Glenn Close, em The Wife

Melhor Ator Secundário
Mahershala Ali, em Green Book

Melhor Atriz Secundária
Regina King, em If Beale Street Could Talk

Melhor Argumento
Green Book

Melhor Canção
Shallow, em A Star is Born

Melhor Banda Sonora
First Man, por Justin Hurwitz

Categorias de televisão

Melhor Série (Drama)
The Americans

Melhor Atriz (Drama)
Sandra Oh

Melhor Ator (Drama)
Richard Madden

Melhor Série (Comédia ou Musical)
The Kominsky Method

Melhor Atriz (Comédia ou Musical)
Rachel Brosnahan

Melhor Ator (Comédia ou Musical)
Michael Douglas

Melhor Mini-Série ou Filme Produzido para a Televisão
The Assassination of Gianni Versace

Melhor Atriz (Mini-Série ou Filme Produzido para a Televisão)
Patricia Arquette

Melhor Ator (Mini-Série ou Filme Produzido para a Televisão)
Ben Whishaw

Melhor Atriz Secundária
Patricia Clarkson

Melhor Ator Secundário
Darren Criss

“Aquaman” 2018

aquaman - featured image

As bloggers More Than Entertainment e Tagarela Geek, voltam a juntar-se uma vez mais para uma crítica conjunta, desta vez sobre o último filme que ambas assistiram no cinema em 2018, Aquaman.

Ação, Aventura, Fantasia e Ficção Científica

Realização: James Wan

Elenco: Jason Momoa, Amber Heard, Patrick Wilson

Metade humano e outra metade atlante, Arthur Curry parte numa jornada com os seus aliados Mera e Vulko para encontrar o tridente do rei, uma arma mítica capaz de controlar os sete mares. O trio precisa cumprir o seu objetivo antes de Orm, meio-irmão de Arthur que pretende derrubá-lo e tomar o trono de Atlântida.

 

Curiosidade

O Aquaman é uma personagem que pertence ao universo da DC Comics, criado por Paul Norris e Mort Weisinger, tendo tido a sua primeira estreia em Novembro de 1941 na More Fun Comics #73. Ele chegou a ser membro fundador da Liga da Justiça da América, nos finais de 1950 e 1960. Já na época de 90, considerada a Era Moderna das Bandas Desenhadas, o Aquaman tem interpretações de maior peso, com enredos mais vocacionados para o seu papel como rei de Atlantis.

Opinião

O filme passa-se depois dos eventos do filme “Justice League”, e Mera procura a ajuda de Arthur para travar o seu meio-irmão, e assim reclamar para si o trono de Atlântida. Contudo, Arthur não se vê como rei, e apenas aceita ajudar a evitar uma guerra entre a Atlântida e a superfície. Para além da ameaça de Ocean Master, Arthur ainda tem à perna Black Manta, que procura vingar-se dele. E, assim se vai passando o filme, até Arthur Curry se tornar rei da Atlântida.

O argumento do filme peca principalmente no diálogo, que por vezes se torna tonto, com piadas previsíveis e patetas. O enredo até é interessante, pois usufrui de dois vilões interessantes, principalmente Ocean Master. E, claro de um herói carismático. Outro ponto menos positivo no argumento é o desenvolvimento da relação entre Mera e Arthur, que é rápido demais e podia ter sido melhor construído.

O que não falta no filme é ação, e essa sim foi uma mais valia no filme. Em relação aos efeitos especiais, tiveram melhor do que se esperava. Contudo, há que lembrar que Aquaman é um filme que se passa maioritariamente debaixo de água, com batalhas aquáticas, e podem tornar-se confusas por vezes, por serem muitas coisas a acontecer ao mesmo tempo, com um espetáculo de cores subaquáticas e criaturas incríveis, quando somos introduzidos a Atlântida.

James Wan realiza este filme da melhor maneira possível, consoante o material que teve. Só penso que se fosse outro realizador, podia ter corrido pior.

O elenco é composto por vários actores e actrizes reconhecidos. Jason Momoa faz um bom trabalho como Aquaman ao torná-lo mais carismático e apetecível ao público apologista da frase “Aquaman sucks”. Contudo, o argumento tornou-o demasiado pateta por vezes, e burro, que está a anos luz da minha primeira imagem do Aquaman, que foi a do desenho animado da “Liga da Justiça”. Amber Heard não desilude como Mera, apenas fica demasiado na retina a cor do cabelo, que é demasiado estranha. O filme é melhor por ter Patrick Wilson como vilão, até ficamos com pena de não o ver mais. Vemos Nicole Kidman como nunca a vimos, uma rainha guerreira destemida, e não se saiu nada mal.

“Aquaman” é um filme pipoca divertido, com muita ação e efeitos especiais á mistura. Contudo, alguma da comédia é exagerada e tem algumas partes muito genéricas que poderiam ter sido trabalhadas de outra forma.